terça-feira, 8 de março de 2016

Você tem atitudes racistas e não percebe?

Getty Images

Reproduzir voluntária ou involuntariamente o preconceito é mais fácil do que parece. Descubra se você também cai nessa armadilha, e com que frequência, a partir do teste elaborado com a colaboração de José Vicente, reitor da Universidade Zumbi dos Palmares, em São Paulo.

Você já fez piadas de cunho racista?

1 de 9
  • Não, mas já riu de piadas desse tipo
  • Nunca. E se alguém fizer perto de você, vai ouvir poucas e boas
  • Não só fez, como continua fazendo
  • Algumas vezes

Você tem amigos negros?

2 de 9
  • Tem vários
  • Tem alguns
  • Não, mas deve ser pura casualidade
  • Não, na realidade, não convive com muitos negros
  • Qual é a sua opinião a respeito do samba, da capoeira e da umbanda?

    3 de 9
    • São coisas que não conhece bem e por isso não gosta
    • São manifestações culturais inferiores que não lhe interessam
    • Conhece bem, respeita e valoriza as manifestações culturais e a religião
    • Conhece pouco, mas respeita
    • Em uma conversa, surge o assunto das cotas raciais nas universidades. O que você diz?

      4 de 9
      • Deixa bem claro que acha a política um absurdo e que defende a meritocracia
      • Não diz nada, pois não sabe bem do que se trata nem tem uma opinião formada
      • Se pedirem a sua opinião, vai dizer que concorda, além de explicar seus motivos
      • Defende veementemente seu posicionamento a favor das cotas
      • Ao ver um negro em uma posição de destaque, em qualquer área, o que sente?

        5 de 9
        • Fica surpreso e curioso para saber como ele chegou até ali
        • Satisfação. Tudo o que você deseja é oportunidades iguais para todos
        • Acha estranho. No lugar dele, deveria estar um branco
        • Nada. Para você, é algo absolutamente normal
        • Você passa por uma moça usando o cabelo no melhor estilo "black power". O que pensa?

          6 de 9
          • Que ela deveria alisar os fios, para ter um visual mais apresentável
          • Que ela é uma moça muito estilosa
          • Que ela sabe valorizar a beleza que tem
          • Que ela é corajosa de assumir o cabelo crespo
          • O que faria se um filho ou outra criança da família pedisse um boneco negro de presente?

            7 de 9
            • Ficaria feliz com a decisão e certamente a apoiaria
            • Compraria numa boa
            • Mostraria à criança outras opções, sem depreciar o boneco negro
            • Convenceria a criança a escolher outro brinquedo
            • O que achou dos artistas que protestaram contra o Oscar, que indicou e premiou apenas brancos?

              8 de 9
              • Não está muito por dentro do assunto, mas achou meio exagerado
              • Uma bobagem. Pensa que eles deveriam estar militando por causas mais nobres
              • Achou o máximo e fez o possível para disseminar as opiniões deles
              • Concorda com eles, mas não fica fazendo polêmica por conta disso
              • Você já usou expressões como "a coisa tá preta" e "inveja branca"?

                9 de 9
                • Nunca. E se alguém usar na sua frente, vai se arrepender
                • Já, mas não usa há tempos. Parou ao perceber o quanto são ofensivas
                • Algumas vezes, mas sem intenção de ofender os negros
                • Sim, várias vezes
                • Não tem e não aceita que outros tenham

                  Você não é racista e busca posicionar-se, sempre que possível, contra esse tipo de discriminação. Sabe que há um longo processo de desconstrução no caminho inverso às plataformas que justificam e dão sustentação ao preconceito racial e quer fazer parte dessa mudança. "É necessário criar uma nova mentalidade social, livre do pensamento e do sentimento de que há seres inferiores e superiores. Ela deve valorizar e defender a diversidade, a igualdade e a dignidade da pessoa humana, acima de qualquer coisa", afirma José Vicente, reitor da Universidade Zumbi dos Palmares.

              •               Blog de Deusa / Uol
Postar um comentário