segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Prazer em mastigar gelo pode significar falta de ferro no organismo

Os consultórios odontológicos ficam lotados de pacientes com problemas relacionados à mastigação de gelo durante o verão.

Os consultórios odontológicos ficam lotados de pacientes com problemas relacionados à mastigação de gelo durante o verão.
A vontade de se refrescar durante o verão é tanta que muitas pessoas acabam apelando para o gelo. E são nesses meses, de dezembro a fevereiro, que os consultórios odontológicos registram o maior número de casos envolvendo desgastes da estrutura ou do esmalte dentário, além de trincas ou fraturas nos dentes, causados pelo hábito de mastigar gelo. Entretanto, muitos não sabem que o desejo de praticar frequentemente essa ação pode significar deficiência de ferro no organismo.
O gelo é utilizado, em muitos casos, como uma receita para microinflamações durante o pós-operatório. De acordo com a cirurgiã-dentista Aline Gouvea Nogueira (CRO: 16269), ele é o melhor anti-inflamatório que existe. “Em certas situações, chega a ser superior a própria medicação”, esclarece. Pessoas com deficiência de ferro no organismo, como acontece na anemia ferropriva, sentem prazer em mastigá-lo. “Isso ocorre porque ele alivia as pequenas inflamações na boca do paciente, adquiridas pela falta da substância no corpo.” 
Se o indivíduo percebe um desejo compulsivo de mastigar gelo (transtorno chamado de pagofagia), significa que ele precisa ir a um dentista urgentemente. “O profissional, então, vai encaminhá-lo a um especialista”, afirma Aline. A trituração do gelo feita pelos dentes sempre traz malefícios à integridade da dentição. “Contudo, a recomendação, para quem não tem essa vontade incontrolável, é deixá-lo na boca até derreter, como se fosse uma bala”, aconselha. 
Gostar de gelo, segundo a dentista, não é problema: “o que realmente importa é se há uma compulsão em realizar a ação”. O tratamento pode ser feito com o acompanhamento de um hematologista, que vai investigar a deficiência de ferro. Quanto aos problemas odontológicos, ele varia conforme o diagnóstico do profissional e a intensidade e a frequência de trituração. “Se há um desgaste do esmalte e o paciente está com sensibilidade vamos deixar seus dentes saudáveis e tratá-lo. Caso seja mais grave, como uma fratura, pode ser colocada uma prótese fixa com pino ou um implante”, explica Aline.


                Blog de Deusa / MSN


Postar um comentário