quarta-feira, 23 de novembro de 2016

Vinho: vilão ou mocinho para a saúde bucal?

Para especialistas, não há nenhum problema em consumir a bebida moderadamente.

 Fornecido por Cartola Para especialistas, não há nenhum problema em consumir a bebida moderadamente.
O inverno está acabando, mas nem por isso o vinho sai de moda.  Seja tinto, branco ou rosé, a bebida é uma ótima opção para acompanhar os mais diferentes cardápios, além de parceiro para uma roda de conversa ou uma boa leitura. Segundo especialistas, quando consumido de forma moderada, ele não traz prejuízos para o organismo e tem funções antioxidantes que auxiliam no funcionamento geral do corpo. Mas e a saúde bucal? 
Apesar de muito se falar das possíveis consequências negativas para a beleza do sorriso, Sérgio Vieira (CROPR 4423), professor titular da disciplina de Dentística do Curso de Odontologia da Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), afirma que  a bebida só trará danos aos dentes se for ingerida em quantidades significativas e em alta frequência. “Um consumo constante de vinho tinto ao longo dos anos pode vir a escurecer os dentes, principalmente se o rótulo escolhido pelo consumidor apresentar altas doses uma substância chamada tanino”, afirma. A respeito do vinho branco o professor tem posição semelhante: o ácido da bebida só causará danos aos esmalte dos dentes se for consumido em grandes quantidades e por um longo tempo. 
Adriano Abreu (CROCE 3041), profissional pós-graduado em Odontologia Estética, também defende a bebida de Baco. De acordo com o especialista, pacientes recebem a recomendação de não beber vinho tinto apenas quando estão passando por tratamentos clareadores (que geralmente duram mais de uma sessão). “Já o vinho branco é mais ácido que o tinto, mas essa acidez pode ser controlada”, afirma o dentista. Segundo Abreu, uma dica é comer queijo branco enquanto se bebe o vinho, para neutralizar sua acidez. 
Outra questão é a boca seca: o álcool presente na bebida diminui a produção salivar, deixando a área menos protegida. Porém, a desidratação é uma consequência do consumo em excesso de qualquer tipo de bebida etílica. O álcool é um diurético natural, que pode causar desidratação ou desequilíbrios químicos em todo o organismo. 
De qualquer modo, prevenção também é importante e pequenas medidas podem fazer a diferença para a saúde e beleza dos dentes. Beber água, por exemplo, é uma indicação  unânime: ela ajuda a reidratar o corpo, auxiliando o organismo a repor seus fluídos. Não escovar os dentes imediatamente após beber vinho é uma dica valiosa. “Quando se toma qualquer bebida ácida é bom não escovar os dentes em seguida, mas sim fazer um bochecho com água para retirar os resíduos maiores e deixar a saliva agir na restauração dos dentes e do pH da boca”, explica Silveira. Isso porque os cremes dentais contém substâncias abrasivas, que agem de forma semelhante aos esfoliantes, para retirar as sujeiras dos dentes. Se a boca estiver com a acidez a cima do normal e a pessoa realizar a escovação, há a possibilidade de “esfoliar” demais os dentes, trazendo outras consequências negativas.  


               Blog de Deusa / MSN


Postar um comentário