sexta-feira, 12 de maio de 2017

7 dados que você vai gostar de saber sobre a vagina Devido ao tabu que existiu em torno da sexualidade feminina, a vagina é uma das grandes desconhecidas, até para as mulheres.

Informações importantes sobre a vagina

A vagina é o órgão do aparelho genital feminino cujas funções são fundamentais tanto no âmbito sexual quanto hormonal e reprodutivo.
Ela conta com um tecido mucoso que se encarrega de manter a lubrificação e o pH natural, evitando a passagem excessiva de agentes infecciosos como os vírus e as bactérias.
Suas paredes são formadas por fibromúsculos que, além de dar-lhe elasticidade, permitem realizar muitas de suas funções principais.
Serve como saída de fluidos como a menstruação e o muco cervical, e dado que conta com centenas de terminações nervosas, é um centro de prazer e excitação sexual.
Embora na atualidade muitos tabus e mitos tenham sido derrubados sobre a sua função, existem alguns dados curiosos que muitas ainda não conhecem.
Você está pronta para descobri-los?

1. Seu tamanho muda com o orgasmo

A vagina é um órgão que se expande com facilidade durante as relações sexuais, dado que o sangue se concentra nesta região para facilitar a penetração.
Suas paredes interiores são compostas por pequenas dobras que se abrem como um guarda-chuva durante o sexo.
No entanto, quando o orgasmo está próximo, seu tamanho diminui em até 30%, devido ao fato de que os músculos da vulva se contraem de forma brusca.

2. Tem a capacidade de se autolimpar

A região íntima feminina conta com uma flora bacteriana que oferece uma barreira protetora diante dos vírus, leveduras e bactérias que causam infecções.
A presença de um corrimento transparente ou branco é completamente normal. Embora para algumas seja incômodo, é necessário para a autolimpeza deste órgão complexo.
O uso de sabonetes perfumados, desodorantes e outros produtos de higiene íntima podem causar alterações em seu pH, o que pode ser prejudicial.
É necessário usar ingredientes naturais com probióticos, os quais combatem os germes ao mesmo tempo em que promovem a limpeza.

3. Seus músculos podem se fortalecer

Os músculos que fazem parte da vagina podem ser tonificados e fortalecidos. Pratique regularmente exercícios focados no trabalho do assoalho pélvico.
Estas atividades contribuem para reduzir o risco de problemas como a incontinência urinária, o prolapso e outras condições que pioram a qualidade de vida.
Uma de cada três mulheres tende a apresentar disfunções em seu assoalho pélvico ao chegar à menopausa.
Os exercícios de Kegel, o levantamento da pélvis e os alongamentos são formas simples de trabalhar esta parte do corpo.

4. O clitóris é uma fonte de prazer

Após acabar com centenas de tabus que buscavam esconder sua função, hoje sabe-se que o clitóris é o único órgão humano cujo propósito é dar prazer.
Ele conta com mais terminações nervosas do que qualquer outro órgão do corpo, 8000 aproximadamente, e pode medir entre 6 e 12 centímetros de comprimento e 6 de largura, estendendo-se no interior do corpo.
A maioria dos orgasmos femininos tem sua origem na excitação e estímulo deste delicado órgão.

5. O sexo mantém a vagina saudável

Ter relações sexuais com regularidade é uma das formas mais saudáveis de exercitar os delicados músculos que compõem este órgão.
Os períodos prolongados de abstinência fazem com que os tecidos internos da vagina fiquem quebradiços,.
Em alguns casos, os músculos podem se contrair demais, tornando a penetração dolorosa na hora de voltar a manter relações.

6. A vagina poderia cair

Trata-se de uma condição conhecida como prolapso vaginal, que ocorre quando o útero, as trompas de Falópio e a vagina caem, exercendo pressão na região vaginal.
Isso pode acontecer após o parto, pelo enfraquecimento do assoalho pélvico ou por intervenções cirúrgicas que comprometem a matriz.
Sua atenção imediata é determinante, dado que é necessário ter ajuda médica para solucionar o problema antes de apresentar complicações.

7. Fica mais sensível após o parto

Depois do parto todas as mulheres precisam de um certo tempo para se recuperar.
É conveniente esperar entre 4 e 6 meses para manter relações sexuais com penetração.
Isso se deve ao fato de que o pH da flora vaginal demora um pouco para recuperar seu equilíbrio, o que aumenta o risco de infecções bacterianas ou por leveduras.
É fundamental evitar o consumo de açúcar e bebidas alcoólicas, além do uso de peças de roupa íntimas muito apertadas.
Todos estes dados são úteis para saber mais sobre o funcionamento deste delicado órgão feminino.
No entanto, diante de qualquer dúvida, é importante consultar um ginecologista para receber informações mais detalhadas.



         Blog de Deusa / melhor com saúde



Postar um comentário