terça-feira, 14 de março de 2017

Febre amarela: conheça os sintomas e saiba tudo sobre a vacina - O número de casos de febre amarela no país aumentou significativamente. Por isso, se informe sobre os sintomas, como proteger crianças e grávidas e quem precisa tomar a vacina

imunizacao-contra-a-febre-amarela-e-incentivada
Nunca se ouviu tanto falar em febre amarela. É não é à toa! Em 2017 o surto da doença tem deixado a população em estado de alerta. O motivo? De acordo com o Ministério da Saúde, até o começo desse ano foram notificados 901 casos da febre amarela. Desse total, 708 casos ainda permanecem em investigação, 151 confirmados e 42 descartados. Bastante, né? E as notícias alarmantes não param por aí: dentre os 143 óbitos notificados, 54 foram confirmados, 86 ainda estão sendo investigados e apenas três foram descartados.
Apesar de Minas Gerais ser o estado que apresenta os números mais alarmantes, com 802 casos suspeitos e 134 confirmados, outras regiões como Espírito Santos, Bahia, São Paulo e Tocantins também já registraram ocorrências de febre amarela.
Diante de números tão alarmantes e de um país inteiro preocupado com a disseminação da doença, conversei com o dr. Jacyr Pasternak, infectologista do Hospital Israelista Albert Einstein para esclarecer as principais dúvidas em relação à febre amarela, inclusive para gestantes e pais de crianças pequenas. Confira abaixo informações sobre sintomas, tratamentos, prevenção e vacinação.
Como a febre amarela é transmitida?A febre amarela é pega através da picada de mosquito. Dr. Jacyr explica, entretanto, que a doença tem dois ciclos epidemiológicos, ou seja, duas maneiras do vírus circular na espécie humana, apenas de ser idêntica e causada pelo mesmo vírus. “O ciclo selvagem é transmitido por mosquitos do gênero Haemagogus e Sabethes, e cicla entre macacos, sendo os humanos picados quando entram no mato. Já o ciclo urbano é passado pelo nosso velho conhecido Aedes Aegypti e eventualmente pelo primo dele, o Aedes Albopictus. No Brasil temos, neste momento, unicamente o ciclo selvagem. O último ciclo urbano foi registrado em 1942”, explica.
Quais são os sintomas da doença?Os sintomas de febre amarela são variáveis e, em muitos casos, ficam pouco sintomáticos, com febre, dor muscular e mal-estar por alguns dias. Entretanto, o infectologista explica que os casos mais graves são mais dramáticos. “Febre alta, icterícia (cor amarela da pele, olhos e mucosas), insuficiência renal, náusea, vômitos e hemorragias são os sintomas mais marcantes”, afirma Jacyr Pasternak. A taxa de mortalidade nos casos graves é da ordem de 40 a 50 %, com assistência médica decente.
Existem formas de tratamento?Infelizmente, não! Diante da suspeita de febre amarela, o paciente deve ficar em observação clínica, tratando as possíveis complicações. É importante também se hidratar bem, vigiar sangramentos e ficar atenta à dosagem dos medicamentos caso haja sinais de insuficiência renal.
Tem como se prevenir?De acordo com o infectologista o único meio de prevenção é não frequentar zonas onde ocorrem a infecção, além, é claro, da vacina contra febre amarela. “Ela é feita a partir do vírus vivo atenuado e totalmente efetiva”.
febvre-4847455
Estou grávida. Posso tomar a vacina?
Não! Como a vacina é feita com o vírus vivo atenuado ela pode causar lesão ao feto. O mesmo vale para períodos de amamentação. Se a mãe tomar a vacina contra febre amarela após o nascimento do bebê o indicado é que ela espere 28 dias para amamenta-lo novamente, já que o vírus pode ser transmitido pelo leite materno. Dr. Jacyr ressalta, porém, que grávidas que vivem locais de condições epidêmicas podem tomar a vacina. “Existem poucos relatos de problemas ligados a vacinação na gravidez”.
O mais indicado para gestantes é usar roupas que cubram as áreas expostas, aplicar repelente por todo o corpo mais de uma vez por dia e evitar viajar para as regiões que já relataram casos da doença.
Crianças devem ser imunizadas com que idade? É necessário tomar mais de uma dose da vacina?O especialista indica que crianças acima de dois anos sejam imunizadas e que uma dose da vacina já é o suficiente para o resto da vida. “Duas doses são, definitivamente, imunizantes para sempre. Não há necessidade, entretanto, de tomar mais que isso”.
Minha cidade não faz parte das áreas de risco. Preciso tomar a vacina mesmo assim?É sempre bom ter a carteira de vacinação em dia. Entretanto, dr. Jacyr Pasternak explica que pessoas de mais idade apresentam maiores riscos ao se vacinar contra febre amarela. “Em casos raros, mas claramente conhecidos no Brasil, a doença foi comprovada e desencadeada pela vacina. Por isso, acredito que não há a necessidade de se vacinar contra a febre amarela se você não for se expor, nem viajar para a região onde ocorro o ciclo selvagem da doença”. Lembrando que a vacina não deve ser dada em crianças abaixo dos seis meses e em pessoas que nunca a tomaram acima dos 60 anos.
A vacina pode causar algum tipo de reação?As únicas queixas que se ouviu até hoje depois de aplicada a vacina contra febre amarela são: febre, dor de cabeça e dor muscular por um ou dois dias. Em casos raríssimos e bem mais graves, apresentou-se quadros com a encefalite – uma inflamação do cérebro desencadeada pela presença de um agente infeccioso.
Quem não pode tomar a vacina de febre amarela?Pessoas que tomam medicações que interferem com a resposta imune, grávidas, crianças menores de seis meses, pessoas com algum tipo de imunodeficiência (como HIV, neoplasia ou que fazem tratamento de quimioterapia) e quem tem alergia a ovo, já que o imunizante possui a proteína do ovo em sua composição. Dr. Jacyr Pasternak, enfatiza que o melhor é que cada caso seja avaliado separadamente por um especialista. Só ele poderá dizer se você deve, ou não ser imunizada pela vacina.
Para pôr fim a qualquer restante em relação à febre amarela, dá uma olhada nesse vídeo publicado pelo Ministério da Saúde solucionando outras dúvidas sobre a doença.
Fim das dúvidas?
Bjs,
Fabi Scaranzi


           Blog de Deusa / Fabiana Scaranzi



Postar um comentário