sexta-feira, 10 de julho de 2015

Beber cerveja pode ajudar a te proteger de doenças como Alzheimer e Parkison

cerveja
por Dani Birita em Bebum News  
Ver todos os posts de Dani Birita
publicidade


Das notícias que amamos!
Uma substância química chamada xanthohumol, presente em algumas plantas secas usadas na fabricação de cervejas e alguns refrigerantes, pode ajudar a proteger as células de cérebro dos danos oxidativos associados a demência, como Alzheimer e Parkinson.
 A pesquisa foi publicada no Journal of Agricultural and Food Chemistry e sugeriu que pessoas que bebem cerveja regularmente, podem afastar a progressão de doenças neurológicas.
O Dr. Jianguo Fang, da Universidade de Lanzhou na China disse: “Na medicina tradicional chinesa, o lúpulo têm sido utilizado para tratar uma variedade de doenças por séculos. A presença de uma elevada concentração de xanthohumol em cervejas pode ser associado à observação epidemiológica, tornando o hábito de beber cerveja algo benéfico”.
Xanthohumol tem atraído um interesse considerável por causa de suas funções farmacológicas múltiplas, por ser antioxidante, proteger o coração, ser anticancerígeno, contribuir contra a obesidade, ser anti-inflamatório e prevenir o câncer.
A equipe do Dr. Fang isolou moléculas de xanthohumol e testou em células cerebrais de camundongos em uma série de experimentos de laboratório. Eles descobriram que o xanthohumol reduziu o nível de estresse oxidativo nas células, um processo prejudicial que é tido como intimamente ligado a doenças degenerativas.


No artigo na revista, os pesquisadores disseram: “As células neuronais são particularmente vulneráveis ​​ao estresse oxidativo por ter reposição limitada durante toda a vida. Cada vez mais provas mostram que o estresse oxidativo é uma das causas de patogenias neurológicas e de doenças neurodegenerativas, tais como Alzheimer e Parkinson”. “Bloqueando o processo oxidativo, torna-se eficiente bloquear ou retardar o processo que desenvolve tais doenças”, concluíram.

Vale lembrar, que o consumo excessivo de cerveja em frequência muito alta, pode causar um risco maior de demência, por destruir o tecido cerebral.





               Blog de Deusa / Bebida Liberada




Postar um comentário