sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Supere um amor não correspondido e siga em frente Psicóloga dá dicas para lidar com o fim de um relacionamento e voltar a ser feliz

Supere um amor não correspondido e siga em frente 
Dor, raiva, angústia, saudade, vontade de chorar, desespero. Quem já levou um fora sabe o que é sentir essa mistura de sentimentos que parece não ter fim. Amar e ser amado é uma das melhores sensações que pode existir, mas basta amar para correr o risco de o amor acabar. Para te ajudar a passar por essa face complicada, conversamos com a psicóloga Ana Cristina Castro Azevedo Gato Rosa que afirma que é, sim, possível superar um amor não correspondido Aceitação
Terminar um relacionamento é sempre doloroso. “Mesmo que seja uma opção sua, uma decisão pensada, o sofrimento é inevitável, afinal, aquela pessoa passou algum tempo ao seu lado”, explica Ana Cristina Rosa.  O primeiro passo a se dar para seguir em frente, então, não é negar os momentos bons que teve com o parceiro, mas sim aceitar que acabou. “O amor faz feridas emocionais reais. A dor também é física: se seu coração sofre, você e o seu corpo sofrem junto”, conta a psicóloga. Vai doer, você vai chorar, mas são fases necessárias para a superação.
O luto
De um dia para o outro a vida ficou cinza. O sol, a alegria das pessoas ao seu redor, as cores, tudo isso parece muito sem sentido e chega até a incomodar. Você está sem chão. Ana Cristina alerta que, neste momento, é preciso saber respeitar o próprio tempo e não querer se abrir para novas experiências sem antes ter condições para isso. Algumas pessoas querem ficar reclusas por um tempo, outras preferem espairecer, sair para esquecer, preencher o vazio com outra pessoa. “Não há melhor saída, cada um deve reagir de acordo com a sua natureza, como o seu corpo suporta, como sua mente determina”, afirma.
De volta à rotina, uma nova rotina
Você precisa voltar a viver, mas com outros hábitos. Que tal começar a substituir, aos poucos, os programas que estava acostumada a fazer acompanhada? Chame os amigos e, caso tenha perdido contato com eles, procure-os, ative pessoas para estarem ao seu lado. Acorde, limpe o quarto e abra as janelas. As fotos dele já não devem ter lugar na sua parede e as roupas que sobraram precisam ir para aquela caixa de ítens que não servem mais para a sua vida. Saia! Conheça gente nova e deixe que as pessoas te mostrem o seu valor. Acredite, o mundo não acabou junto com o seu relacionamento.
Ame quem você é
“Amar é para poucos. Amar é tão perfeito que muitos buscam e poucos encontram porque requer entrega, dedicação e cuidados”, insiste a psicóloga. E agora, quem precisa desse amor é VOCÊ! Mergulhe dentro de você, descarte todas as sensações ruins que ficaram e aproveite as boas experiências. Se precisar, não se sinta constrangida por procurar um profissional, um terapeuta ou um psicólogo. Ouça e faça coisas especiais para você, permita-se se presentear com uma bolsa nova ou algo que quer faz tempo. Cuide da sua saúde e do seu visual. Fique sempre linda! Não deixe que o término te adoeça e faça você perder o gosto pela vida. “A mudança ajuda a superar. Vire a página!”, aconselha Ana Cristina.
Amizade com o ex
A amizade pode acontecer após o fim de um namoro, mas essa é uma decisão sua. Converse com ele de forma franca e desarmada e descubra se é possível e se é saudável manter contato neste momento. Pode ser que sim, pode ser que agora não, pode ser que nunca mais vocês consigam ter uma relação amigável. Se a última for a sua realidade, fale a verdade e peça para ele respeitar a sua decisão.
Enfim, viva, sorria, trabalhe, dance, corra, pedale, ande, coma, abrace, estude, durma, ajude, escreva, fotografe, beije, namore e, quando menos você esperar, um novo amor vai preencher o vazio que o antigo deixou. Deixe-se ser surpreendida pela VIDA.

               Blog de Deusa / uol



Postar um comentário